segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

RUA DOS SONHOS



Rua Doutor Veloso
Inspiração cativa em meus pensamentos
Guarda meu sono
Vela segredos
Acontece no meu destino.

Histórias, irmãos, amigos
Passados aqui,
No centro do meu coração
Criança, adulto, ventania
No silêncio asfáltico de sua companhia.

Sempre será meu início e meu fim
Rua de muitos rostos
Leva o povo a suas origens
Enquanto se banha do novo
Renovadas as suas matrizes.

Testemunha ocular de tantas histórias
Trajetórias silenciosas encerradas em ti
O tempo jamais apagará a honra de morar aqui.

Não sei a ordem dos fatos
Nem quando te descobri
Sempre esteves aqui,
A um passo de mim.

Rodrigo Costa Lima

A infância é algo marcante pra qualquer pessoa, tive a sorte de viver os últimos fragmentos dela, ainda podendo ser construída na porte de casa, na rua.  Hoje infelizmente isso é cada vez mais raro. Dedico esse poema aos meus amigos de infância: 

Rafaell, Denyson, Gustavo, Raphael, Thiago, Karine, Kamila, Maria Tereza, Poliana, Kátia, Kennedy, Vinicius, Cristian, Maurício, João Victor e outros que infelizmente não me recordo o nome. 

Embora nem todos morassem aqui, a proximidade das casas nos reunia. A Doutor Veloso hoje, é uma rua triste, devido a tantos fatores, mas tenho certeza que as melhores recordações dela, estão conosco meus amigos. Vocês são inesquecíveis. 

Espero que algum dia, nossas ruas possam se vestir novamente de crianças, sem o medo da criminalidade e outras formas de medo, que encerram meninas e meninas, cada vez mais engaiolados dentro de casa. 


Abraços, paz e bem a todos!

2 comentários:

kami disse...

Bela mensagem Rodrigo. Foi muito bom a nossa infancia. Ficará em nossos coraçoes para sempre. Galera finissima. Grande abraço, Kamila

Maria Tereza Tetê disse...

Lindo Ró! Suas palavras, sua poesia, retratam tudo o que a Rua Dr. Veloso foi um dia em nossas vidas. A significância de uma época de amizades sinceras, inocentes e verdadeiras, onde nossa única preocupação era não deixar a bola bater nas janelas das casas ou cair no quintal dos vizinhos. Guardarei sempre boas lembranças de nossa infância... "verdadeira infância"! Abraços amigos, Tetê