sábado, 27 de agosto de 2011

SONHO DE CATIVAR




VERSOS E PROSA

Que tal hein?
Um vinho, poemas, poesia
Nossas vidas
O silêncio
O frêmito incontido do teu beijo
Um lar
Ao relento
As janelas do peito abertas
O vento a nos reger e guiar
Entre segundos
Dois mundos num encontro interestelar
Amando tudo
Sem se preocupar com o futuro
Sem medo de amar
Na mais contagiante harmonia
Num encontro salutar.

Rodrigo Costa Lima

domingo, 21 de agosto de 2011

SENSIVELMENTE SONHAR




UM LUGAR EM MIM

Toca meus lábios, minha vida, meu coração
Faz de mim poeta novo
Em cada sopro de inspiração
Encontrando perfeição,
Toca de mansinho
Pra não faltar carinho
E não ter complicação
Chega de devaneios, tristeza e solidão
Simplicidade então.

Rodrigo  Costa Lima

sábado, 13 de agosto de 2011

SONHOS A FIO




Vacância

Uma angústia vive dentro de mim
Um caos sem órbita e sem fim
A alma quer tocar o céu azul
O corpo definha em desmedida depreciação.

Eu me soterro e apequeno
Com carga diária de problemas
Ainda luto
Sem saber qual é de fato o caminho
E se isso tudo vale a pena.

Muito agitado e nervoso
Minhas idéias perplexas não encontram exatidão
Os sentidos destruídos
Por tanta falsidade e decepção.

Um mundo carregado e dividido
Carrego desde menino
Em um peito solitário e dolorido
As vozes de criança se calam
Num soluço escondido.

É tanta covardia e apatia
Tantas verdades mal dormidas
Que não acredito
Como pode haver felicidade
Nessa Terra
Nessa vida comedida.

Em meu peito oprimido
Subjazem dor e esperança
Solidão e bonança
E no ópio diário
Amenizo a fé
Em tons de tolerância.

Rodrigo Costa Lima