sexta-feira, 2 de outubro de 2009

SONHO DE MIM, EM MIM SEM FIM

Olá! Nunca fui de pedir nada a quem lê os poemas, nossos poemas, porém, hoje farei diferente. Sou adepto da idéia de que um bom poema (se é que existam maus poemas), pede da mesma forma, uma boa música. Eis que com muito carinho, peço que ao lerem o poema a seguir, escutem concomitantemente essa música: Aqualung - Easier To Lie.



Obrigado!


**********************************************************




Divagar...


Deixe eu enterrar meus mortos
Chorar meu passado
Permitir que as coisas sigam seu caminho
Me sinto perdido, caminhando muito
Porém, sempre sozinho...

Deixe,
De lado verei o futuro
Segurei meu rumo
Procurando acertar
Chorando cada erro
Na esperança vigilante de um novo acerto.

Deixe a canção tocar sem sentido
Por horas e horas a fio
Deixe vagar
Por todo o tempo
Mesmo aquele que não possuo
Preciso estar
Aquietar meu coração.

Vagar, de vagar
Devagar
Divagar
Deixe estar
Quieto
Nos braços
Nos laços
Sem haver fim.

Deixe acertar
Aceitar que as coisas sempre mudam
E nos consomem
Deixe eu chorar
Não somos fortes
Somos nuvem solta no céu
Alta, bela, mas impossível de ser tocada
Apenas admirada
E um dia desaparecemos
Com o sol que traz fim, jorrando luz
Aquecendo o dia que se inicia após a madrugada.

Rodrigo Costa Lima

5 comentários:

Manú Patente disse...

Adorei o poema Rodrigo me instigou a divagar.

Anônimo disse...

Olá,

conheci seu blog através do blog "Mil ternurinhas" e, desde então me tornei sua leitora assídua.
Parabéns por estar a um ano no ar, e parabéns por escrever palavras tão lindas.

Abraços,
Claudia.

_RO_ disse...

Olá Manu e Claudia, como vão? Agradeço muito por palavras tão generosas! Fico feliz em tê-las junto a mim! Agradeço também o carinho de sua companhia Claudia, sonhando junto comigo a algum tempo!
Forte abraço!

Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila disse...

Belas palavras.

Pena que o autor seja uma peste...hshs

brincadeira

abraço